Caros colegas e associados,

 

Muito tem se falado sobre o pH da água, entretanto, não existem fundamentos científicos nem regulação legal que determinem qual é o pH ideal da água para consumo e quais seriam suas respectivas implicações para o organismo.

 

O pH das águas minerais não é um parâmetro que define a sua potabilidade, uma vez que águas ácidas ou alcalinas não representam risco à saúde humana, motivo pelo qual não consta na legislação de água mineral natural. A legislação Nacional (Portaria MS n° 2.914 /2011) e a internacional (WHO, 2011) não estabelece valores de pH para a água de consumo humano relacionados à proteção da saúde humana, pois do ponto de vista de saúde, o pH da água não representa risco a saúde.

 

O pH da água não é um fator relevante para a prevenção e/ou tratamento de doenças, já que haverá alteração no pH durante o processo de digestão através do suco gástrico, no estômago e,
posteriormente, pelo suco pancreático, no intestino.

 

Apenas com a finalidade para fins operacionais de tratabilidade da água, as legislações, recomendam que o pH da água no sistema de distribuição pública, seja mantido entre a faixa de pH 6 e pH 9,5, visando facilitar o tratamento da água nas diferentes etapas (floculação, sedimentação e cloração), bem como evitar a ocorrência de problemas nos serviços de abastecimento, como corrosão na canalização e alteração na qualidade da água quanto a sabor e cor.

 

Para mais informações, acessem o arquivo  

                                                                                                 

 

 

                                                                                             © ANBEM 2013. Todos os direitos reservados.

                                                        Coloboradores: Gustavo Alexandre, José Amaro Sereno, Alexandre Baltar e Andressa Ilana